Iluminismo Rousseau [Contrato Social]

Iluminismo Rousseau Resumo: Contrato Social

O estudo sobre o Iluminismo estaria incompleto sem Jean Jacques Rousseau, autor do Contrato Social.

Este filósofo iluminista defendeu a democracia e discutiu a origem da desigualdade entre os homens. As diferenças entre Rousseau e os demais pensadores iluministas defensores do individualismo serão analisadas neste artigo.

Vídeo aula: Iluminismo Rousseau | Rousseau Contrato Social

Crítica à Propriedade Privada

Jean-Jacques ROUSSEAU nasceu na Suíça e viveu entre os anos de 1712 e 1778. Logo de início vamos estabelecer uma diferença entre Rousseau e os filósofos iluministas analisados nas aulas anteriores.

Rousseau se diferencia de todos os outros por ser o único a criticar a propriedade privada, o principal motivo da causa da miséria e da desigualdade entre os homens.

John Locke, Voltaire e Montesquieu tinham em comum a defesa do individualismo. Os interesses do indivíduo estariam acima dos interesses da sociedade, com destaque a defesa da preservação da propriedade privada.

Ao contrário deles, Rousseau se coloca contra os princípios do individualismo e da propriedade de bens materiais.

Ele defendia que a verdadeira igualdade entre os homens somente seria alcançada quando a propriedade privada tivesse fim. 

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

A Origem da Desilgualdade entre os Homens

Propriedade Privada: origem da desigualdade entre os homens
Propriedade Privada: origem da desigualdade entre os homens

A desigualdade entre os homens foi um tema fundamental no pensamento de Rousseau. Suas mais importantes obras analisaram justamente este grave problema social.

BANNER INSCRIÇÃO NO YOUTUBE 2

Suas principais obras foram “Discurso sobre a origem e Fundamentos da desigualdade entre os homens”, escrito em 1755 e “Do Contrato Social”, escrito em 1762.

Rousseau buscou meios para compreender e, sobretudo, diminuir as injustiças que tinham a sua origem na desigualdade social.

Rousseau também defendia a igualdade de direitos e deveres políticos, algo que nós podemos compreender como o respeito por uma “vontade geral”.

Em outras palavras, Rousseau defendia a Democracia como instrumento necessário para que o houvesse de fato o respeito à igualdade de deveres e direitos políticos.

Iluminismo características e contexto histórico
Iluminismo características e contexto histórico

Porém, Rousseau defendia uma democracia direta, ou seja, aquela em que cada indivíduo vai para a praça pública e participa ativamente, pessoalmente, de todas as decisões políticas.

Não se tratava de uma democracia representativa e indireta como esta que existe no Brasil atualmente, em que nós elegemos um parlamentar e ele nos representa ao tomar suas decisões políticas.

Ao contrário, Rousseau defendia uma democracia direta, em que o indivíduo vai para a rua e defende ativamente os seus direitos e interesses, prevalecendo sempre a soberania popular, ou seja, a vontade da maioria do povo.

Portanto, no pensamento iluminista de Rousseau, o objetivo fundamental do Estado deveria ser a garantia da liberdade, da igualdade e da justiça para toda população, sem qualquer exceção.

Em nosso próximo blog post iremos analisar a importância de Diderot e D’Alembert na organização da Enciclopédia.

HistoriAção Banner de Inscrição YouTube

Mapas Mentais e Infográficos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Já são mais de 98 mil inscritos no YouTube e 8.300.000 visualizações!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.