Pré-História Paleolítico neolítico e idade dos metais

Pré-História Resumo: Paleolítico, Neolítico e Idade dos Metais

Neste resumo sobre a Pré-História você encontrará uma abordagem que privilegia os principais tópicos deste grande tema:

  • a Revolução Agrícola e o processo de sedentarização do homem.
  • a Idade dos Metais (momento em que o homem aprende e domina as técnicas de fundição).

Leia todo o nosso blog post e confira os detalhes.

Evolução dos hominídeos na Pré-História.

O Que é Pré-História?

Pré-História é o período em que ocorreu o desenvolvimento biológico do homem, o aumento de seu volume cerebral, da escrita e da linguagem. Na Pré-História foram feitas conquistas tecnológicas: o homem aprendeu a dominar o fogo, a viver em sociedade, técnicas de fundição e desenvolveu a agricultura.

Vídeo aula: O que é Pré-História?

Hominização do Homem

A Pré-História também esta relacionada com o estudo do processo de hominização do homem.  Ou seja, o seu processo evolutivo desde os primatas até o estágio do Homo Sapiens.

Durante esse processo de hominização o homem adquiriu comportamentos humanos, distanciando-se de seus antigos ancestrais primatas.

Toda vez em que se fala da Pré-História a pergunta que está escondida lá no fundo é esta aqui: qual é a origem da humanidade? E aí não tem jeito, eu vou ter que falar do Criacionismo.

Criacionismo

De acordo com o Criacionismo, Deus criou o homem e tudo que existe no universo. Essa é a origem da vida segundo esta explicação religiosa que dominou o mundo cristão ocidental até o século XIX.

Na bíblia, no livro Gênesis, temos a descrição de Deus criando um homem (Adão) do pó da terra e à mulher (Eva) de sua costela.

Então, de acordo com o Criacionismo, é impossível pensar o mundo e a humanidade sem a presença da intervenção divina. O que de certa forma conforta as pessoas e tira a responsabilidade do homem pelo mau que ele mesmo pratica no mundo todos os dias.

A imagem em destaque mostra justamente a presença de Deus criando Eva a partir da costela de Adão.

Bom, eu expliquei para você sobre o Criacionismo para que possamos compreender o contexto histórico em que surgiu a teoria evolucionista, a base fundamental sobre a qual esta aula foi planejada.

Em outras palavras, aqui nesta aula eu adoto o ponto de vista a teoria evolucionista. Aliás, todos os livros didáticos sérios que eu conheço fazem a mesma coisa.

É importante destacar que o Criacionismo é usado para se referir à rejeição, por motivação religiosa, de certos processos biológicos, particularmente a evolução.

Então borá lá para explicar a Teoria Evolucionista.

Vídeo aula: Pré-História (Criacionismo e Evolucionismo)

Teoria Evolucionista

Para a teoria evolucionista a origem da vida está no processo de evolução. Esta foi a grande conclusão científica de Charles Darwin, naturalista inglês, que publicou uma obra revolucionária intitulada a “Origem das Espécies” no ano de 1859.

Neste livro, Charles Darwin afirma que os seres vivos, incluindo aí os seres humanos, passaram por um processo evolutivo ao longo de milhões de anos.

Segundo ele, teria ocorrido um processo de Seleção Natural que preservou aquelas espécies que conseguiram se adaptar às modificações do ambiente.

Segundo palavras do próprio Darwin, a espécie que sobrevive não é a mais forte e nem a mais inteligente, mas sim aquela que melhor se adapta às modificações impostas pelo ambiente.

Darwin chocou o mundo com sua teoria. Isso aconteceu porque pela primeira vez alguém tirava a discussão sobre a origem do homem do campo religioso e levou para o campo científico.

Darwin abandonou a explicação criacionista. Ao apresentar sua teoria evolucionista Charles Darwin desagradou boa parte do mundo, que era dominado por ideias religiosas no final do século XIX.

Nós estamos em pleno século XXI e ainda hoje existem escolas espalhadas ao redor do mundo que proíbem o ensino da Teoria Evolucionista, pois segundo elas, a hipótese Criacionista é única e legítima para explicar a origem do homem.

Outro ponto polêmico na teoria de Darwin é afirmação de que o surgimento do homem foi o resultado de um processo de evolução a partir de outros primatas.

Ou seja, o homem e os primatas teriam uma origem comum e se separaram ao longo do processo evolutivo.

Essa afirmação de Darwin de que homem e primata tem uma origem comum no processo evolutivo foi intensamente ridicularizada no fim do século XIX e ao longo do século XX.

Porém, atualmente com os estudos e pesquisas de Engenharia Genética está comprovado que 98% do DNA humano é idêntico ao DNA de um chimpanzé.

Ou seja, mudanças mínimas na constituição do DNA são capazes de causar grandes diferenças entre espécies que tiveram origem em uma mesma matriz evolutiva.

Em outras palavras, o processo evolutivo do ‘Homo Sapiens’ a partir dos antigos primatas é algo incontestável do ponto de vista científico na atualidade.

Se você quiser mais informações sobre Charles Darwin, sua vida e os detalhes sobre a Teoria Evolucionista eu recomendo intensamente que você assista uma série de 4 programas exibidos pelo canal Globo News em 2009, data em que se comemorava o aniversário de 200 anos de nascimento de Darwin.

O link dos vídeos está aqui. CHARLES DARWIN 200 ANOS – Especial GloboNews 2009.

Vai lá e assista porque é coisa muito boa e que vai complementar muito os seus estudos sobre a Pré-História.

E assim nós terminamos a explicação sobre a Teoria Evolucionista.

Agora é o momento de falar sobre os Dinossauros.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Curiosidades Históricas: Os Dinossauros

O homem e os dinossauros nunca viveram juntos no planeta Terra.
Cena de Jurassic World

Bom, os dinossauros habitaram o planeta Terra há cerca de 150 milhões de anos atrás e desapareceram por volta de 65 milhões de anos.

O desaparecimento dos dinossauros é explicado por uma colisão de um asteroide de cerca de 10 quilômetros de diâmetro que colidiu com o planeta Terra, exterminando todos os Dinossauros e cerca de 50% de todas as formas de vida que existiam naquele momento.

A extinção dos dinossauros foi o que proporcionou o desenvolvimento e evolução dos mamíferos, dentre eles os seres humanos.

O mais antigo hominídeo registrado pela arqueologia teria existido a cerca de quatro milhões de anos atrás.

Ou seja, existe uma lacuna, um espaço de mais ou menos 61 milhões de anos entre o último dinossauro e o primeiro hominídeo.

Em outras palavras, eu estou afirmando que os Dinossauros e seres humanos nunca dividiram ao mesmo tempo o mesmo espaço no nosso planeta.

Linha do Tempo da Pré-História

Vídeo-aula: Pré-História Linha do Tempo

Chegou o momento de falar sobre a Linha do Tempo da Pré-História ou as divisões da Pré-História.

Vamos começar analisando rapidamente esta linha do tempo sobre a evolução da humanidade.

Nós temos aqui em destaque os períodos Paleolítico e Neolítico.

O período Paleolítico começou há 4 milhões de anos atrás, ainda na Era Terciária (quando temos o surgimento do primeiro hominídeo: o Australopithecus), e vai até 10 mil anos antes de Cristo (a.C).

Ou seja, é um período de tempo grande pra caramba.

Termina o Paleolítico e começa o período Neolítico que vai de 10 mil a 4 mil anos antes de Cristo (a.C).

Logo depois nós temos em destaque o início do chamado período histórico, de acordo com historiografia tradicional, momento em que ocorre o surgimento da escrita na Mesopotâmia mais ou menos no ano de 3.300 antes de Cristo (a.C).

Essa linha do tempo passa pelo ano 1 com o nascimento de Jesus Cristo se estende até os dias atuais.

Tempo e Pré-História

Nos próximos dois slides nós vamos apresentar algumas informações básicas sobre as relações entre o tempo e a Pré-História. Então presta muita atenção porque as informações a seguir são muito importantes.

Vamos então aos detalhes do período Pré-Histórico. Em primeiro lugar, o nosso planeta tem cerca de 4,6 bilhões de anos.

O surgimento do primeiro homem é, portanto, muito recente se comparado com a formação do planeta Terra, pois aconteceu “apenas a 4 milhões” de anos atrás.

Tratar de um período tão extenso é uma tarefa das mais complicadas. Por isso, foram criadas divisões como Paleolítico, Paleolítico superior, Mesolítico, Neolítico e Idade dos Metais, por exemplo, apenas para que você possa compreender o tema.

Essas divisões foram criadas para facilitar a sua compreensão. O termo Pré-História diz respeito ao período que vai do aparecimento do homem (a 4 milhões de anos atrás) até o surgimento da escrita (na Mesopotâmia).

É importante destacar essa informação, pois essa é uma definição tradicional da História que serve apenas como referência de localização no tempo. Ou seja, o simples fato de não possuir escrita não significa que não houve história antes do ano 3.300 a.C.

A História Não Vive Apenas da Escrita

Há muitas décadas a disciplina de História faz o uso de diversas, de múltiplas fontes históricas para reconstituir o passado da história humana.

Pinturas Rupestres, descobertas arqueológicas, fósseis, construções arquitetônicas, tudo isso é fonte histórica utilizada pelo historiador e por outros especialistas para fazer esse trabalho de compreensão do passado.

É importante salientar isso porque a ausência de escrita não significa de forma alguma a ausência de história.

Além disso, até os dias atuais nós temos povos que não possuem escrita, vivem da coleta e da caça, e se organizam a partir da tradição oral, assim como aconteceu há 10 mil anos atrás. E nem por isso nós podemos chamar esses povos de Pré-Históricos.

Então, podemos tirar mais uma conclusão. O desenvolvimento dos grupos humanos não foi homogêneo em todas as regiões do planeta.

Outra consideração importante. Como já dissemos a Pré- História é um período extremamente longo. As informações apresentadas nesta aula basearam-se nas fontes mais confiáveis possíveis.

Porém, mesmo entre os especialistas da Arqueologia, da Antropologia, da História, dentre muitos outros profissionais, existem muitas divergências, principalmente no que diz respeito as datas de início e de término de um determinado período.

Portanto, a datação da Pré-História é uma base de referência para os nossos estudos. É apenas uma referência para que você possa se localizar no tempo e no espaço. Não existe exatidão em relação a isso.

A Escala Evolutiva dos Hominídeos

Vídeo-aula: Pré-História Evolução dos Hominídeos – Australopithecus e Homo (Erectus, Habilis e Sapiens)

Vamos falar agora da escala evolutiva dos hominídeos. Vamos falar do caso do Australopithecus, do Homo Habilis, do Homo Erectus e Homo Sapiens. destacando o que há de mais importante nessa escala evolutiva.

Não se esqueça de uma coisa: nesta aula predomina a abordagem da Teoria evolucionista de Charles Darwin. Portanto, a partir de agora você vai ver um breve resumo dos principais aspectos que confirmam a evolução da espécie humana.

Estas comprovações são possíveis a partir de diversos fósseis de nossos ancestrais encontrados em diversas partes do mundo. Então vamos lá.

Australopitecos

O primeiro hominídeo de nossos estudos é o Australopitecos, termo que significa macaco do sul. Era um bípede semi ereto que existiu a mais ou menos 4 milhões de anos atrás. Chegou a atingir 1 metro e meio de altura.

Aqui vai uma característica importante. O Australopitecos possuía o polegar invertido. Isso deu a ele a capacidade de manusear os instrumentos com uma precisão que os outros animais não tinham.

Polegar invertido significa a capacidade de realizar movimentos de altíssima precisão. Esta precisão dos movimentos por sua vez permitiu ao Australopitecos realizar trabalhos cada vez mais refinados e assim modificar o ambiente ao seu redor.

A capacidade craniana é um elemento que eu vou destacar o tempo todo. O volume do crânio do Australopitecos estava entre 380 e 550 cm³.

O aumento do volume cerebral significa o aumento da capacidade de organização simbólica, linguística e cultural dos seres humanos em relação às demais espécies.

Antes que eu me esqueça é importante destacar que a carne já fazia parte da dieta do Australopitecos. Portanto ele já era um carnívoro.

BANNER INSCRIÇÃO NO YOUTUBE 2

Homo Habilis

Vamos analisar o nosso próximo hominídeo: Trata-se do Homo Habilis, termo que significa homem habilidoso. O Homo Habilis possuía características físicas semelhantes ao Australopitecos.

Ele existiu entre 2 milhões e meio a um milhão e meio de anos atrás. O Homo Habilis atingiu uma estatura maior, atingindo 1 metro e 57 centímetros de altura. Proporcionalmente verificamos também o aumento do seu volume cerebral, que ficou entre 550 e 680 cm³.

Observação: o aumento da capacidade craniana significa o aumento da cognição, aumento da inteligência, aumento da capacidade de compreender e de manipular o ambiente que estava ao seu redor.

Tanto é que o Homo Habilis foi o primeiro a construir e utilizar ferramentas feitas de pedra lascada. Ele também incluiu a carne na sua alimentação.

Homo Erectus

O nosso próximo hominídeo é o Homo Erectus, termo que significa homem ereto. O Homo Erectus era um bípede com a capacidade de se manter ereto e que existiu em nosso planeta entre 1,8 milhão e 50 mil anos atrás. Atingiu a estatura de 1 metro e 70 centímetros de altura.

Ele também utilizava o fogo para se proteger dos animais selvagens. Verificamos aqui mais um aumento do seu volume cerebral, que ficou entre 750 e 1250 cm³.

Volto a repetir. O aumento do volume cerebral significa o aumento da inteligência e o aumento da capacidade de abstração. Tanto é que ele já tinha a capacidade de produzir objetos de pedra e de madeira.

Homo Sapiens

Vamos terminar o nosso quadro comparativo falando do ‘Homo Sapiens’, termo que significa homem sábio.

O Homo Sapiens era um caçador carnívoro. Ele é a origem da espécie atual da humanidade, tendo surgido entre 200 e 150 mil anos atrás.

Foi o Homo Sapiens que desenvolveu a habilidade para produzir objetos de dimensões reduzidas, o que significa alta precisão na produção de produtos e ferramentas para usos específicos no seu dia-a-dia.

Houve também o desenvolvimento da Pintura Rupestre, da construção de estatuetas e também o desenvolvimento do pensamento abstrato e simbólico, o que significa o desenvolvimento da linguagem em alta complexidade, aumentando assim a capacidade de comunicação entre os seres humanos.

Isso foi possível devido ao desenvolvimento da capacidade craniana. O volume cerebral do Homo Sapiens atingiu os estágios atuais ficando em torno de 1400  a 2000 cm³.

Isso permitiu o desenvolvimento do arco e flecha, das embarcações, da cerâmica, tecelagem e agricultura. Ou seja, toda a complexidade das culturas humanas foi alcançada nessa fase de desenvolvimento do Homo Sapiens.

Divisão do tempo na Pré-História: Culturas Pré-Históricas

Como é feita a divisão do tempo na Pré-História? É disso que eu vou falar a partir de agora. Chegou o momento de analisar o desenvolvimento das culturas pré-históricas e o nosso ponto inicial é o período Paleolítico.

Paleolítico

Vídeo-aula: Pré-História (paleolítico ou Idade da Pedra Lascada)

O Paleolítico é o começo de tudo a 4 milhões de anos atrás e se estende até 10 mil anos antes de cristo (10.000 a.C). Ou seja, é tempo pra caramba. O Paleolítico também é conhecido como Idade da Pedra Lascada.

Nessa fase os nossos ancestrais tinham uma vida nômade e uma economia coletora. Em primeiro lugar, nômade significa que eles não tinham moradia fixa e se deslocavam constantemente à medida em que encontravam caça, pesca e frutos para serem coletados.

Neste período temos a utilização de ferramentas feitas com ossos, pedra e madeira com um polimento ainda muito rudimentar.

A vida era comunitária e os hominídeos do Período Paleolítico viviam em pequenos grupos familiares.

Paleolítico Inferior

O Paleolítico pode ser dividido em duas fases: paleolítico inferior e paleolítico superior.

O Paleolítico Inferior vai de 4 milhões até 300 mil anos atrás. Além de todas as características citadas anteriormente é preciso destacar neste período a ausência do domínio do fogo.

O fogo ainda não era dominado pelos nossos ancestrais e a vida se constituía basicamente da caça organizada em pequenos grupos.

Essa organização era o que permitia caçar animais muito maiores e mais fortes do que os primeiros seres humanos.

A outra fase do desenvolvimento do período paleolítico é chamado de Paleolítico Superior. Atenção, muita atenção nessa hora.

Paleolítico Superior ou Período Mesolítico

O Paleolítico Superior também é chamado de Período Mesolítico. É nessa fase que os nossos ancestrais desenvolveram as técnicas de domínio do fogo.

Fogo que passou a ter inúmeras aplicações. O fogo era utilizado para aquecimento nas noites frias, para o cozimento dos alimentos, para a iluminação durante a noite, que por sua vez, era também um instrumento de defesa contra os predadores. E, obviamente, o fogo também era utilizado na caça.

O domínio da produção de fogo foi uma tecnologia que transformou de maneira drástica a qualidade de vida de nossos ancenstrais.

Foi também no Paleolítico Superior que ocorreu o desenvolvimento da Pintura Rupestre ou Registro Rupestre, encontrada em grutas. cavernas e também ao ar livre.

A Pintura Rupestre sempre representava animais e figuras humanas. A Pintura Rupestre fazia parte do universo simbólico e religioso dos nossos ancestrais.

Representar rituais de caça nas paredes funcionava como uma preparação para uma tarefa que iria garantir o alimento e a sobrevivência da comunidade ou grupo familiar.

Neolítico ou Idade da Pedra Polida

Vídeo-aula: Pré-História (Neolítico ou Idade da Pedra Polida)

Vamos falar agora do Período Neolítico, um período infinitamente menor que o Paleolítico.  Porém, neste curto intervalo da evolução humana ocorreram grandes transformações, que por sua vez, alteraram para sempre o rumo das sociedades humanas.

O Período Neolítico começa em 10.000 a.C e vai até 4.000 a.C. mais ou menos.

O Neolítico também é conhecido como Idade da Pedra Polida, pois os instrumentos que antes eram feitos de pedra lascada e possuíam um acabamento mais rudimentar transformaram-se de forma significativa.

Estes instrumentos foram polidos, aperfeiçoados e aprimorados para usos específicos dentro do cotidiano.

Em outras palavras, a capacidade de polimento dos instrumentos aumentaram de forma exponencial a capacidade de modificação do ambiente por meio da realização de trabalhos cada vez mais sofisticados.

Foi no Neolítico que ocorreu a domesticação dos animais selvagens, o que diminuiu a dependência em relação à caça.

Dito de outra forma, o homem descobriu como desenvolver a pecuária e dessa forma, ter uma fonte recorrente e previsível de fornecimento de carne.

Revolução Agrícola

Preste atenção. Aqui nós temos uma das mais formidáveis conquistas evolutivas e culturais de todos os tempos entre os seres humanos até este momento: trata-se da Revolução Agrícola.

A Revolução Agrícola foi o desenvolvimento da agricultura, que por sua vez, permitiu o abandono da vida nômade e a adoção do sedentarismo.

Ou seja, os seres humanos deixaram de se deslocar constantemente por diversas regiões em busca de comida, abrigo e água e tornaram-se sedentários.

Em outra palavras, adotaram uma moradia fixa, com carne, cereais, frutas e água sempre à disposição, reduzindo drasticamente a sua vulnerabilidade diante da instabilidade do clima para obtenção de alimentos.

Houve, portanto, o abandono de uma economia coletora e adoção de uma economia produtora de alimentos em grande escala. Os homens tornaram-se capazes de produzir os seus próprios alimentos por meio da agricultura e do pastoreio.

Sedentarismo

Todos esses fatores conjuntamente permitiram o desenvolvimento do sedentarismo. Os homens não tinham mais que se deslocar constantemente em busca dos seus próprios alimentos, porque agora eles eram capazes de produzi-los. O sedentarismo, mais o aumento da produção de alimentos, teve como efeito o crescimento populacional e o aumento do tempo de vida dos grupos humanos.

Foi nessa fase que ocorrem também a especialização do trabalho, a criação das hierarquias sociais e a organização do Estado. Em outras palavras, a divisão do trabalho foi a divisão das tarefas dentro da comunidade, divisão e especialização que tornou-se cada vez mais sofisticada até alcançar um grande nível de complexidade, algo que pode ser comprovado com as duas mais famosas sociedade hidráulicas da antiguidade: Egito e Mesopotâmia.

Vejamos agora alguns detalhes para que você possa compreender o tamanho das modificações ocorridas neste curto intervalo de 6000 mil anos que representa o Período Neolítico.

Idade dos Metais

Idade dos metais (domínio das técnicas de fundição)
Idade dos metais e domínio das técnicas de fundição.

Nós temos aqui ferramentas feitas de pedra polida fabricadas por seres humanos neste período. São artefatos encontrados a partir do trabalho desenvolvido pela arqueologia.

Por volta de 5000 mil anos a.C teve início um período que ficou conhecido como Idade dos Metais. Observação: a Idade dos Metais ainda faz parte do Período Neolítico.

As comunidades sedentárias desenvolveram a tecnologia da fundição e manipulação dos metais. A metalurgia do ferro foi importantíssima, pois possibilitou a produção de armas e de ferramentas mais eficientes e mais duráveis, que eram utilizadas tanto na caça quanto na agricultura.

Além disso, aqueles grupos humanos que dominavam as técnicas de fundição tiveram uma vantagem competitiva na disputa pelo território que apresentada melhores pastagens e condições adequadas para o desenvolvimento da agricultura e do pastoreio.

O Desenvolvimento da Escrita

Mais ou menos por volta de 3 mil e trezentos anos antes de Cristo ocorreu o surgimento da escrita, outra tecnologia que mudou para sempre os rumos da humanidade.

O domínio da linguagem acelerou de maneira frenética o desenvolvimento das sociedades humanas.

Curiosamente a escrita surgiu em diferentes lugares e em diferentes momentos, de acordo com o desenvolvimento de cada comunidade humana.

Conforme nós já falamos anteriormente até hoje existem grupos humanos que não se utilizam da escrita e se organizam a partir da tradição oral. Isto reforça a ideia de que a escrita se desenvolveu de formas diferentes nas várias regiões do mundo.

O uso da escrita esteve relacionado à religião, ao poder dos chefes políticos locais, a conservação dos calendários e à transmissão do conhecimento sem o suporte oral.

Ou seja, aquele indivíduo que fosse detentor de um grande conhecimento e registrasse tudo por meio da escrita permitia que a comunidade tivesse acesso a toda a sua experiência mesmo depois de sua morte. Essa é a grande maravilha da tecnologia conhecida como escrita.

Vídeo-Aula: Pré-História (Invenção da Escrita)

A partir do momento que as informações e os conhecimentos puderam ser colocados em um suporte escrito isso permitiu que a informação e o conhecimento ganhassem durabilidade.

Em outras palavras, a escrita possibilitou que as novas gerações recebessem de graça o conhecimento construído durante milênios, a duras penas, pelas sociedades antepassadas.

Dessa forma, os processos de utilização desse conhecimento para fins práticos de trabalho e modificação do ambiente ficaram cada vez mais acelerados, permitindo melhorias cada vez mais significativas a cada nova geração que recebia essas informações e esses conhecimentos.

Dito de outra forma, era possível conhecer mais e melhor a partir das bases de conhecimento construídas por nossos antepassados.

Com o desenvolvimento da escrita e a preservação da informação tornou-se possível corrigir o que não funcionava tão bem, aprofundar aquilo que estava correto e interligar informações de diferentes origens, criando bases de conhecimento completamente inéditas, tornando a vida material e cultural das comunidades humanas cada vez mais estáveis, seguras e confortáveis.

Conclusão e Revisão

É chegado o momento da conclusão da nossa aula sobre a Pré-História.

Você vai ver que eu estou repetindo as mesmas informações do início da aula. Agora, depois de tudo que foi visto até este momento você estará um perfeitas condições de entender e responder a seguinte pergunta: O Que É Pré-História? 

Nós estudamos o processo de hominização do homem, ou seja, o processo evolutivo desde os primatas até o estágio do ‘Homo Sapiens’.

Hominização significa a conquista de características humanas, tais como inteligência, desenvolvimento de tecnologias de trabalho e de modificação do ambiente, o desenvolvimento de tecnologias para a comunicação e preservação da informação no tempo, a organização de famílias e de organização política.

Todos esses são atributos exclusivamente humanos, nenhuma outra espécie tem a capacidade de fazer isso. Isto representa o processo de hominização da espécie humana.

A reconstituição desse passado do planeta e dos homens só é possível devido ao trabalho conjunto de arqueólogos, antropólogos, geólogos, historiadores e uma infinidade de vários outros profissionais.

A Pré-História foi o período em que ocorreu o desenvolvimento biológico do homem, o aumento de seu volume cerebral e de sua inteligência, capacitando-o a planejar racionalmente as suas ações e dominar parte da natureza que o cercava.

Na Pré-História ocorreu o desenvolvimento da linguagem e outras conquistas tecnológicas, tais como o domínio do fogo, da técnica de agricultura e pastoreio, bem como a fundição que permitiu a produção de ferramentas e instrumentos de metal.

Tudo isso ajuda a definir este longo período histórico que nós chamamos de Pré-História.

Inscreva-se em nosso canal, curta, comente e compartilhe nossos vídeos entre seus amigos.

HistoriAção Banner de Inscrição YouTube
Canal HistoriAção Humanas

Compartilhe esta informação e ajude a manter o canal Historiação Humanas. Desde já, o nosso muito obrigado! Um forte abraço e até a nossa próxima aula!

Mapas Mentais e Infográficos

PRÉ-HISTÓRIA Slides ppt

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Já são mais de 98 mil inscritos no YouTube e 8.300.000 visualizações!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.